Essas podem ser as últimas horas de Marquinho na Prefeitura

Neste artigo fazemos um balanço dos 494 dias de governo

De acordo com o Portal RC24H, o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) foi notificado nesta quarta-feira (09) da decisão tomada na sessão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) do último dia 24 de abril, a respeito da cassação do mandato do prefeito de Cabo Frio, Marcos da Rocha Mendes (MDB), e de sua vice, Rute Schuindt (PPS). Assim sendo, a qualquer momento a Câmara Municipal e a Prefeitura de Cabo Frio podem ser notificadas, e a partir de então, Marquinho e Rute serem destituídos dos cargos e Aquiles Barreto (PRB) assumir interinamente o Executivo, até a realização das eleições suplementares.

Sendo hoje, amanhã ou semana que vem, o fato é que estamos oficialmente nos últimos momentos do governo Marquinho Mendes. Um governo difícil, marcado por escândalos, e que em 494 dias não mostrou a que veio. Acompanhe, neste artigo, um breve resumo do período em que o quase ex-prefeito Marquinho administrou a cidade.

O GOLPE NO ENSINO MÉDIO

A primeira “grande” medida tomada por Marquinho Mendes como prefeito foi descumprir um termo de compromisso assinado na campanha eleitoral, que garantia a manutenção do Ensino Médio no município de Cabo Frio. O resultado: greves e manifestações por todo o município. Houve uma união jamais vista entre sociedade, classe sindical e vereadores – todavia, infelizmente, não gozamos de plena vitória neste embate. Somente as turmas do Colégio Rui Barbosa foram mantidas – mesmo assim, em número reduzido. Com muito orgulho, fui um dos que militaram em defesa da manutenção do Ensino Médio.

AS GREVES POR ATRASOS SALARIAIS 

Durante a campanha eleitoral de 2016 – da qual não poderia ter participado – Marquinho Mendes lançou toda sorte de ataques e críticas ao então prefeito de Cabo Frio, Alair Corrêa (PRP). À época, fez questão de dizer que a nossa cidade era rica, e que todos os problemas vivenciados eram fruto da “incompetência” de Alair. Entretanto, quando o próprio MM assumiu a Prefeitura em 2017, não foi isso o que vimos. Tentando justificar os erros da sua gestão, Marquinho passou a dizer que Cabo Frio vivia uma crise sem precedentes, quebrando o encanto da população com o “novo” prefeito, e instalando na cidade uma crise política, aprofundada meses mais tarde com os protestos dos servidores municipais pela falta de pagamento e com escândalos, como o do RH e o do rombo de R$ 60.000.000,00 (sessenta milhões de reais) na COMSERCAF, descoberto com a Operação Basura, da Polícia Federal, que culminou na prisão do então presidente da autarquia, Claudio Moreira, e dos empresários, donos da Prime. Falaremos mais sobre isso à frente.

O ESCÂNDALO DO RH

O ‘Escândalo do RH’ foi um dos maiores escândalos do irresponsável e obscuro governo de Marquinho Mendes. Segundo investigações, uma servidora recebia uma fortuna em salário, ocupando diversos cargos comissionados em um longo período de tempo, sem que ninguém descobrisse. As suspeitas aumentaram após o prefeito rejeitar o requerimento do vereador Rafael Peçanha (PDT), para que o governo desse transparência às suas contas e à folha de pessoal.

O ROMBO DA COMSERCAF

Em dezembro de 2017 a população cabofriense foi surpreendida com uma mega operação da Polícia Federal e do Ministério Público, que investiga a formação de uma organização criminosa para desviar dinheiro público por meio da autarquia responsável pela limpeza urbana, a COMSERCAF. A chamada Operação “Basura” – lixo, em espanhol -, acarretou na prisão do então presidente da autarquia, Claudio Moreira, e dos irmãos empresários, donos da Prime – a empresa que terceirizou o serviço. De acordo com o MP, R$ 60.000.000,00 (sessenta milhões de reais) foram desviados dos cofres públicos.

A FARRA COM VERBAS FEDERAIS 

Que Marquinho e sua trupe já não possuem nenhuma condição ética e moral para administrar Cabo Frio, isso todos nós sabíamos. Porém, tivemos mais uma prova de sua irresponsabilidade recentemente. A Prefeitura de Cabo Frio, de acordo com denúncia apresentada pelo vereador Vanderlei Bento (PMB) ao MPE, estaria usando verbas carimbadas do Governo Federal à Saúde para a compra de veículos 0km.

Em 494 dias de governo, Marquinho Mendes fechou 7 escolas, o Hospital da Criança, 3 Casas do Aluno, diversas Unidades Básicas de Saúde (UBS) e alguns CRAS. Além disso, abandonou os hospitais e escolas que ficaram abertos, as praças e pontos turísticos da cidade. Deixará o governo sem quitar a dívida com o funcionalismo, e também marcará negativamente a história da cidade de Cabo Frio, já que foi o primeiro prefeito cassado do nosso município, nos envergonhando nacionalmente. Por diversas vezes grandes veículos da mídia televisada, falada e escrita – além do próprio ministro do Supremo Tribunal Federal, Luis Alberto Barroso – usaram Marquinho Mendes como exemplo de impunidade e corrupção.

Nós torcemos e trabalhamos pelo melhor para a cidade de Cabo Frio. Em todo o governo de Marquinho Mendes, acompanhamos e fizemos oposição responsável, apoiando as – raríssimas- boas ações e criticando os erros – inúmeros -, mas sempre com respeito e coerência. Jamais agimos com revanchismo e atacamos a pessoa do Marquinho Mendes ou de qualquer integrante deste e de outros governos. Nós sim, fomos perseguidos: diversas e diversas vezes os correligionários de Marquinho Mendes tentaram desqualificar o nosso trabalho, usando a minha idade como impedimento para comentar e participar da vida política da cidade. Mas, enfim… Passou.

Que venha o governo interino de Aquiles Barreto e posteriormente as eleições suplementares !

VAMOS JUNTOS POR CABO FRIO !

 

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.