Por amor ao Rio, Garotinho de novo!

O ano de 2018 é marcado pela realização de mais uma campanha eleitoral. Em poucos meses as emissoras de rádio e televisão e a internet estarão repletas de promessas e mais promessas de candidatos lobos que em período de campanha se travestem de cordeiros para enganar os seus eleitores. Os últimos anos foram extremamente difíceis para o Brasil e principalmente para o Estado do Rio de Janeiro – 2016 e 2017 representaram a falência do sistema político brasileiro. A classe política sofre o descrédito da população, devido a tantos escândalos de corrupção – salvo algumas raríssimas exceções.

No Estado do Rio, por exemplo, presenciamos, de 2014 pra cá, a ruína do grupo político de Sérgio Cabral Filho e Luis Fernando Pezão. A dupla, que há mais de uma década governa o Rio, foi responsável pelo colapso das contas públicas do nosso estado. Se alternando no poder, ambos enriqueceram às custas dos cidadãos fluminenses. Todavia, como no dito popular, “um dia a casa cai”. E começou a cair: Cabral já se encontra preso por um rombo bilionário nos cofres públicos, e Pezão – criatura de Cabral – só não está atrás das grades graças ao foro privilegiado.

E no meio de todo esse imbróglio está uma grande vítima das insanidades de Cabral e Pezão, o ex-governador Anthony Garotinho. Vale destacar que quem mais denunciou os esquemas do PMDB no Governo do Estado e na Prefeitura do Rio de Janeiro foi Garotinho. Por conta disso, ele tem sofrido perseguição política e social, foi acusado de corrupção e preso sem provas, e teve vetado o seu direito de defesa nos maiores veículos de comunicação. No poder, Garotinho e sua esposa, a ex-governadora Rosinha Matheus, promoveram uma verdadeira revolução social no Estado do Rio nos anos de seus governos.

AS ELEIÇÕES DE 2018

Sou um admirador da trajetória política da família Garotinho e da sua luta em favor do povo fluminense. Julgo que não houve governador (a) que mais fez pelo Rio do que o casal Garotinho. Portanto, não poderia me acovardar e simplesmente ignorar tudo aquilo que eu acredito por causa de manobras políticas para tirá-lo do páreo. Reafirmo, assim como fiz em 2014, que o meu candidato a Governador chama-se ANTHONY GAROTINHO.

Diferente de Cabral, Pezão e mais alguns que passaram pelo Palácio Guanabara, Garotinho e Rosinha não enriqueceram às custas do dinheiro público. Têm uma vida estável, sim, porém ambos mantém hábitos simples, ninguém os vê esbanjando dinheiro com viagens, mansões e carros de luxo. Pelo contrário, é muito mais fácil encontrá-los nos braços do povo, nas ruas… Vivem como qualquer outra pessoa. Talvez a única diferença seja o brilho no olhar, o ideal de luta, a garra e a fé que não os permitem desistir.

Estamos contigo, Garotinho!
O NOSSO GOVERNADOR VAI VOLTAR!

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.